domingo, 1 de fevereiro de 2015

A Pesquisa Ação ou Qualitativa e o Estudo de Caso

Boa tarde!
  Ao elaborar um texto acadêmico-científico com base em Estudo de Caso, o aluno/pesquisador está optando por realizar uma pesquisa ação. Em meu artigo datado de 17 de março de 2013, cujo link é [http://www.abntouvancouver.com.br/2013/03/pesquisa-acao-pesquisa-de-campo-ou.html], foram publicados conceitos e definições de importantes autores sobre a coleta de dados onde os fatos acontecem: na vida real. Voltamos a este assunto hoje, para esclarecer que o Estudo de Caso está inserido na metodologia de pesquisa qualitativa (ou pesquisa ação), assunto que está gerando algumas pequenas dúvidas para a Ana Maria Revian.
  Segundo Bressan (2000, apud GOODE & HATT, 1969, p.422), “o método do Estudo de Caso não é uma técnica específica”. O autor refere também a definição elaborada por Yin (1989, p.23), explicando que o estudo de caso tem bases profundas no empirismo, uma vez que parte de situações ocorridas e já investigadas, permitindo que “sejam propostas questões de pesquisa do tipo “como” e “por que”.
  O uso de casos reais como base para o ensino costuma ser utilizado pelas várias áreas da Educação, como Administração, Psicologia, Economia, e mais especialmente, as Ciências Sociais e Humanas. Selecionar um caso para estudá-lo permite ao acadêmico observar o fato em si e a análise já realizada pelo pesquisador que o antecedeu. O importante é ter cuidado para não emitir opiniões nem ser tendencioso(a) quanto aos dados e informações obtidos.
  Neste sentido, o Instituto Insper (sem data) explica que o uso de Estudos de Caso em sua grade de ensino permite desenvolver em seus acadêmicos, as habilidades necessárias para “identificar e resolver problemas, pensar criticamente, argumentar, tomar decisões, aprender a aprender [...]”.
  O Instituto Insper (s.d.) defende ainda que “ao discutir um caso, o aluno vivencia o conflito e enriquece seu aprendizado com o ponto de vista de seus colegas, concluindo que não há respostas prontas, certas ou erradas.”
  Para Cesar (2005, p.2), as pesquisas qualitativas naturalmente envolvem fatos ocorridos na realidade, podendo ser “estudos de caso, experiências pessoais, histórias de vida, relatos de introspecções, produções e artefatos culturais, interações, enfim, materiais que descrevam a rotina e os significados da vida humana em grupos.”
  Cesar (2005, p.2, apud STAKE, In DENZIN e LINCOLN, 2001, p. 436) explica ainda que ao escolher pelo Estudo de Caso, pode-se analisar uma situação ocorrida com um único indivíduo ou com um pequeno grupo, já que “um caso pode ser um fenômeno simples ou complexo, mas para ser considerado caso ele precisa ser específico”.
  Ventura (2007) destaca que, para elaborar uma pesquisa qualitativa com base em um Estudo de Caso, seja a respeito de um indivíduo, ou de um grupo,  é importante que o aluno/pesquisador procure confirmar as informações e dados identificados em outros autores, evitando conclusões equivocadas.  
Regina Del Buono

REFERÊNCIAS
BRESSAN, Flávio. O Método do Estudo de Caso. FECAP – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado. Revista Administração On Line, Vol. 1, nº. 1, Jan/Fev/Mar 2000. Disponível em: [http://www.fecap.br/adm_online/art11/flavio.htm]; acesso em 10 Jan 2015.
CESAR, Ana Maria Roux Valentini Coelho. Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Artigo publicado em 2005. Disponível em:
[http://www.mackenzie.br/fileadmin/Graduacao/CCSA/remac/jul_dez_05/06.pdf]; acesso em 10 Jan 2015.
INSPER - Quais os benefícios do Estudo de Caso? Disponível em: [http://www.insper.edu.br/casos/beneficios/]; acesso em 10 Jan 2015.

VENTURA, Magda Maria. O Estudo de Caso como Modalidade de Pesquisa. Rev SOCERJ. Vol. 20, nº. 5, p.383-386, setembro/outubro 2007. Disponível em:
[http://unisc.br/portal/upload/com_arquivo/o_estudo_de_caso_como_modalidade_de_pesquisa.pdf]; acesso em 10 jan 2015. 

0 comentários:

Postar um comentário