domingo, 9 de outubro de 2016

Devemos grafar o apud em itálico???

   Bom dia! É comum que os estrangeirismos sejam grafados em itálico nos diferentes tipos de textos, especialmente nos acadêmico-científicos. Abordei esta questão em um artigo que publiquei aqui em 31 de agosto de 2014, intitulado "Como destacar as palavras estrangeiras na Monografia?", cujo link é: [http://www.abntouvancouver.com.br/2014/08/como-destacar-as-palavras-estrangeiras.html], vale a pena conferir. Hoje, voltamos a este assunto, em atenção aos emails que tenho recebido sobre isto, em especial para a Catarina. Vamos lá. ...
   Devido à grande quantidade de palavras estrangeiras tão amplamente utilizadas no dia a dia de nossa escrita, a língua portuguesa do Brasil, é comum que leiamos textos nos quais elas não apareçam mais grafadas em itálico. Esse destaque tem sempre a intenção de que tenhamos bem claro que são palavras ou expressões que "não pertencem ao nosso idioma", embora pertençam sim, e tanto pertencem, que as usamos muito amplamente em nosso dia a dia. 

 No que se refere especificamente aos textos e estudos científicos, é comum que grafemos em itálico, mas no caso do "apud" e das outras expressões latinas comumente utilizadas nos textos universitários, notadamente artigos, dissertações, monografias, tcc's e teses de mestrado, pode-se observar uma grande variação. 
  Na verdade, existem inúmeros detalhes que variam de uma universidade para outra, e, por vezes, dentro da mesma universidade, uma vez que podem ser feitas algumas exigências diferentes, de um orientador para outro.
 Em outras palavras, enquanto alguns orientadores/cursos/universidades podem exigir que, não apenas o "apud", assim como as outras expressões latinas, e ainda, todas as palavras estrangeiras adotadas na escrita nacional sejam grafadas em itálico, enquanto outros, não.
 Estou dizendo que existe uma liberdade que permeia as diferentes metodologias elaboradas pelas inúmeras universidades brasileiras, liberdade esta que nos permite produzir textos científicos seguindo as normas das várias metodologias (seja ABNT, APA ou VANCOUVER), mas, ainda assim, sem que todos os textos sejam estritamente iguais, os quais, embora tenham a aparência semelhante, sempre será possível observamos a existência de algumas poucas variações. Esta é a liberdade.
  Boa semana!
Regina Del Buono
abntouvancovuer@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário