domingo, 14 de setembro de 2014

Quais as diferenças dos textos que seguem ABNT ou VANCOUVER?

Olá! 

   Várias são as diferenças que devem ser observadas ao desenvolver um texto que deve seguir a Metodologia ABNT ou VANCOUVER. 
   Não é tão simples fazer uma lista de cada uma, porque a compreensão sobre todas as diferenças implica em conhecer minimamente cada metodologia, e ainda, que o(s) interessado(s) dediquem-se à muita leitura sobre o assunto. 
  Entretanto, vou tentar explicar de uma forma muito “simplista”, para atender ao questionamento feito a mim pela Dani Lins, que me escreveu no último dia 09 de setembro, a quem eu sugiro que vá clicando nos diferentes artigos deste blog, porque as explicações estão divididas em publicações curtas, para facilitar a compreensão necessária.
   Dani, em 27 de julho de 2012, mencionei as principais dicas para que um texto siga a Metodologia VANCOUVER, em meu artigo [http://www.abntouvancouver.com.br/2012/07/abnt-ou-vancouver-quais-as-diferencas.html], mas que não atendeu às suas dúvidas, vamos tentar outra vez? 
   O surgimento da Metodologia VANCOUVER foi descrito aqui, em meu artigo de 28 de julho de 2012, cujo link é: [http://www.abntouvancouver.com.br/2012/07/metodologia-vancouvernormas-para.html], no qual dei início às publicações sobre este assunto. 
   É importante destacar o fato desta metodologia ser exigida, normalmente, para acadêmicos dos cursos da área de Saúde, como a medicina, enfermagem, fisioterapia, entre outros, pois este foi o motivo de ter sido desenvolvida, ou seja, a Metodologia Vancouver foi criada especialmente para que estudos e pesquisas científicas que estivessem (e os que estão) sendo feitos nas áreas mencionadas fossem publicados em periódicos técnicos ou através de artigos científicos eletrônicos, para poderem circular mais rapidamente, difundindo técnicas e resultados. 
  Sua principal característica é apresentar textos sucintos (curtos) e que contenham todas as informações necessárias à compreensão do tema e das experiências que possam ter sido realizadas, com a intenção de serem descritas nesse formato, artigo científico. Dessa forma, deve-se descrever a população estudada, o período, o tipo de estudo realizado, e os resultados obtidos. 
  Dessa forma, para quem vai desenvolver um texto seguindo VANCOUVER, a bibliografia consultada deverá girar em torno de 70% de artigos científicos e periódicos eletrônicos, nos diferentes idiomas, e apenas 30% de outras publicações, como é o caso dos livros, por exemplo. 
 Cabe ressaltar ainda que para o caso de monografias que sigam VANCOUVER, o padrão é de que tenham, no máximo de 30 a 35 páginas, incluindo as Referências. Destaca-se ainda que monografias e teses de mestrado e doutorado dos cursos de Medicina costumam ser exigidos seguindo ABNT.
  Com relação à configuração do texto que segue VANCOUVER, em 22 de setembro de 2012, publiquei detalhes sobre isto, cujo link é:[http://www.abntouvancouver.com.br/2012/09/como-formatar-monografias-segundo.html], foram destacados os principais aspectos que devem ser apreciados, para que seu texto esteja dentro do exigido por sua universidade. 
  É importante ressaltar a forma de referir autores de acordo com esta metodologia, assim como nas Referências desse texto: os autores devem ser mencionados em ordem numérica dentro do texto, assim como na lista final das Referências, ou seja, não se deve seguir  a ordem alfabética, mas sim a numérica.
  Por sua vez, muitos são os artigos já publicados aqui sobre as regras da Metodologia ABNT, então, descreverei hoje os principais aspectos que a caracterizam, são eles: 
1. Elaborar um texto em capítulos, normalmente num total de 3, com aproximadamente 15 páginas cada um. Equivale a dizer que seguir ABNT implica em ter mais espaço para escrever. 
2. Caprichar no levantamento da bibliografia, e se for pesquisa de campo, ainda mais, porque a pesquisa bibliográfica deverá dar o embasamento teórico à pesquisa de campo; 
3. De acordo com o tema, deve-se criar um problema a ser investigado, para o qual o acadêmico/pesquisador deverá sugerir uma hipotese (ou solução hipotética), e ainda definir quais serão os Objetivos Geral e os Específicos do tema/problema a ser desenvolvido, assim como, dar-lhes o fechamento ao longo de toda a bibliografia analisada e que embasou o texto, problema/hipótese e objetivos que deverão ser fechados na Conclusão, quer dizer, se foram ou não atendidos, ou, para o caso disto não ocorrer, que seja(m) explicado(s) o(s) motivo(s) de não ter(em) sido;
4.Para referir os autores analisados para elaboração do texto, ou, para dar a entrada de autores ao longo do texto, deve-se mencionar o "Sobrenome (Ano)" de cada um deles,  evitando o plágio. A entrada dos autores dentro do texto deve ser feita da mesma forma nas Referências (bibliográficas), mas que todos sejam listados em ordem alfabética. Vide meu artigo [http://www.abntouvancouver.com.br/2014/08/as-diferencas-na-forma-de-elaborar-as.html], publicado em 24 de agosto de 2014; 
5. Ainda nas Referências, os autores devem ser listados com seus sobrenomes e nomes completos, além de outros detalhes específicos que merecem ser consultados por você; 
6. Ao longo do texto, podem ser incluídas imagens, como figuras, fotos, gráficos tabelas, que poderão ser posicionados dentro do texto, ou ao final, em anexos, conforme as exigências da metodologia de cada universidade. 

  Dani, são muitos detalhes para serem explicados de uma forma tão breve e de uma só vez, como é o caso deste artigo. É preciso realmente pesquisar, ler e reler com atenção, para que você compreenda o todo, e dessa forma, possa elaborar cada parte de seu texto. E lembre-se: não cabe ao acadêmico escolher o tipo de metodologia a seguir, porque isto é definido sempre pela universidade e conforme o seu curso. Se você ainda ficou com dúvidas, por favor, escreva para o meu email. 
  Um abraço! 
Regina Del Buono

0 comentários:

Postar um comentário